5 coisas que seu cachorro odeia

5 coisas que seu cachorro odeia

Seu catioríneo pode até ser um anjo, mas isso não significa que você pode abusar da boa vontade dele

 

Você adora abraçar e beijar seu cachorro? Afinal, para o que mais eles existem, né? Bem, não é para isso. E a maioria deles não gosta de ser abraçada de forma que restrinja seus movimentos e encarado diretamente nos olhos para receber um “beijo”. Se você chegou até aqui querendo saber se está fazendo algo errado com seu amigo peludo e fofinho, vamos lá:

1. Abraços longos
Pense com a Tia Lets: o abraço é uma manifestação mais comum entre os cães ou os primatas? Entre os cães, esse tipo de interação só acontece de forma bem rápida, em momentos de brincadeira intensa ou brigas. É CLARO que existem exceções. Mas prefira fazer carinho no seu cachorro do que abraçá-lo. Depois a gente escuta a clássica frase “ele avançou do nada”…

2. Interações forçadas
A cabeça é uma parte do corpo extremamente sensível para cachorros e gatos. A maioria dos cães não gosta de ver uma grande boca se aproximando para beijá-lo, principalmente porque ele não sabe exatamente o que vai acontecer. O mesmo vale para a interação com pessoas estranhas, crianças e outros cachorros: deixe o cão se aproximar no tempo dele, sem forçar. Ele precisa observar e ter certeza de que é segura a aproximação.

3. Usar guias inadequadas
Você leva seu cachorro para experimentar a coleira antes de comprar? Pois deveria. Coleiras apertadas ou folgadas afetam a experiência do cão durante o passeio e podem causar acidentes. Isso sem falar nos enforcadores. Bem, nós já falamos dos enforcadores.

4. Ser humanizado
Cachorros precisam ser cachorros: cheirar a rua, rolar na grama, fazer um pouco de bagunça. Compreender a linguagem corporal do animal — você sabia que o cão boceja, lambe os “lábios” e sacode o corpo como forma de tentar liberar o estresse, ou seja, esses são alguns dos sinais possíveis de incômodo? — e saber que eles não são enfeites é importante para evitar comportamentos indesejados e estresse. Passeios, desafios, brinquedos, coisas para destruir, socialização e novidades são super importantes para garantir a alegria e sanidade mental do animal.

5. Castigos, palmadas e reprimendas
Cães não compreendem essa lógica do castigo e da bronca. Se fizeram algo “errado”, é porque não havia uma opção melhor de atividade para passar o tempo. Cães não fazem birra, eles buscam coisas para satisfazer suas necessidades. Para contornar um comportamento indesejado, é o seguinte: busque ajuda de um profissional de educação canina que adote o método de adestramento positivo.

DICA DA TIA LETS

Se você é tutor de primeira viagem, vale lembrar que os cachorros também não gostam de cheiros fortes e barulhos altos. O olfato é muito importante para eles e fornece as informações sobre outros seres vivos e fatores ambientais ameaçadores. Por outro lado, a audição canina é mais sofisticada que a humana — os cães escutam frequências que nós não escutamos, como os ultrassons e infrassons. Aqueles apitos específicos para cães podem causar dor de ouvido nos peludos. Mas olha: alguns estudos apontaram que eles adoram reggae e rock suave. 😉

Referência: Luiza Cervenka de Assis, bióloga, com mestrado em psicobiologia (comportamento animal) e colunista do Estadão

Comentários do Facebook
Nenhum comentário

Deixe um Comentário