Por que preciso castrar meu gato, se ele não tem acesso à rua?

Por que preciso castrar meu gato, se ele não tem acesso à rua?

Muito se fala da castração com o objetivo de controle populacional de animais de rua. Mas e para bichinhos que vivem dentro de casa? Por que ela é tão importante? Vamos descobrir neste post!

 

As fotos que abrem este post parecem ser dessas de internet, mas é a Uiara, uma gatinha cuja mãezinha eu resgatei barriguda. A tutora dela me mandou imagens da fofinha já em casa, com os irmãos, se recuperando da castração realizada há 7 dias (por isso, a roupinha).

Isso significa que ela foi adotada de forma responsável, por uma família que, além da castração dos filhotes, se propôs a instalar telas nas janelas e oferecer toda a assistência necessária para suas necessidades, incluindo enriquecimento ambiental.

Mas essa NÃO é a realidade para muitos gatinhos, devido aos mitos e medos propagados até hoje a respeito do procedimento.

Então, vamos falar sobre castração? A esterilização evita a superpopulação de gatos – e consequentemente o abandono e a propagação de doenças comuns aos felinos, mas seus benefícios vão muito além. Alguns exemplos:

icone - list - patinhareduz consideravelmente os riscos do aparecimento de câncer mamário e infecções no útero (piometra, uma das principais causas de morte precoce em cadelas e gatas), além de contribuir para evitar várias doenças que afetam as glândulas reprodutivas;

icone - list - patinhaevita tentativas de uso de anticoncepcional nas gatas. Diferente do que muitos pensam, esse método não funciona da mesma forma que funciona nos humanos. A hiperplasia mamária – crescimento das células das “tetinhas” muito maior do que o normal – é o efeito colateral mais comum. Como o metabolismo felino é muito mais acelerado do que o humano, esses efeitos podem aparecer bem rápido. Além do aumento das mamas, pode ocorrer a piometra, que é a infecção de útero. O risco de diabetes devido o uso contínuo de anticoncepcionais também aumenta nas gatas. Se é tão prejudicial, porque tem gente que ainda usa? Por supostamente ser mais barato e de curto prazo. Mas hoje em dia, com a modernização das técnicas cirúrgicas, isso mudou. O procedimento tornou-se mais acessível e existem clínicas que oferecem o serviço a baixo custo, além de órgão públicos que têm serviços gratuitos. Nesse caso, é necessário buscar com antecedência, porque pode haver lista de espera. Em Belo Horizonte, para procedimento com preço mais acessível, sem abrir mão da segurança, indico o trabalho da Castrapet — (31) 3047-9136 /  facebook.com/castrapetbh / instagram.com/castrapetbh/ Gente, é sério!  Já vi, em internações de clínicas veterinárias, os horrores que essa medicação pode causar. Podem excluir essa opção, por favor!

icone - list - patinhaameniza ou, em alguns casos, extingue comportamentos indesejáveis, como miados escandalosos no cio das fêmeas e marcação de território no caso dos machos;

icone - list - patinhacontribui para a redução do nível de stress do animal dentro de casa e as chances de fuga. Sabemos que, mesmo com as telas de proteção, acidentes podem acontecer. Se o seu gatinho passar despercebido pela porta, por exemplo, e chegar até  a rua, a chance de ele se envolver em uma briga com outro gato é muito maior; reduzindo suas chances de ser encontrado. Ou, se for uma fêmea, se ela retornar, pode retornar grávida. Isso sem falar da transmissão de doenças!

icone - list - patinhaamplia a qualidade de vida e a longevidade dos felinos. Quem não quer isso?

Até agora, falamos dos benefícios da castração para os gatos.

 

Vamos a alguns MITOS e recomendações importantes:

 

icone - list - patinhamuitos especialistas consideram o período entre 5 e 9 meses de vida como ideal para a castração de felinos (para as fêmeas, mais perto de 5, 6 meses); no entanto, isso pode variar em função do desenvolvimento de machos e fêmeas. Portanto, somente um veterinário está apto a indicar a melhor hora.

icone - list - patinhaembora muitos acreditem que seja necessário esperar que as fêmeas tenham seu primeiro cio para realizar o procedimento, isso não passa de mito! A castração feita antes desse período amplia a proteção contra tumores mamários.

icone - list - patinhao aumento de peso pode ocorrer, sim, em função da castração dos gatos; no entanto, a operação traz muito mais benefícios do não fazer o procedimento. Com o acompanhamento de um profissional, dieta balanceada e atividades com o seu gatinho (brincar é fundamental), é possível evitar e/ou reduzir essa consequência.

icone - list - patinhanão se pode esperar que a castração resolva todos os problemas de comportamento do gato, porque ela não modifica a personalidade e muitos dos condicionamentos aprendidos por ele durante sua vida ante da castração. Se você o ensinou a morder seu pé por baixo da coberta, talvez ele continue fazendo isso.O mais indicado, neste caso, é a consultoria com um profissional especialista em comportamento felino e metodologia positiva. É muito importante ter expectativas REALISTAS sobre as melhorias que a intervenção pode trazer. Converse com o médico veterinário!

Dica da Tia Lets

A castração é um ato de amor, não de penitência.

 

 

 

 

 

Comentários do Facebook
4 Comentários
  • Li
    Postado em 05:34h, 05 novembro Responder

    O que pode acontecer caso ñ castre minha gatinha, ela é presa e ñ sai para nada, quando está no cio aperto próximo ao rabinho e ela se acalma. Fico me questionando se é certo cercear o direito do bichinho procriar, mas por outro lado ñ tenho condições financeiras para permitir mais filhotes.

    • Letícia Orlandi
      Postado em 10:10h, 05 novembro Responder

      Olá, sua gatinha estará exposta a uma chance maior de desenvolver doenças vinculadas ao aparelho reprodutor e mamário, como a piometra e tumores; além de precisar passar pelo cio frequentemente, o que pode ser bastante estressante e induzir comportamentos anormais. A melhor opção é castrar, sem dúvida alguma.

  • Giovanni
    Postado em 22:07h, 13 novembro Responder

    Tenho somente um gato macho no meu apartamento e ele não tem acesso nenhum à rua. É necessário mesmo realizar a castração nesse caso? Obrigado

    • Letícia Orlandi
      Postado em 04:35h, 14 novembro Responder

      Sim, é necessário. Pelos motivos citados no conteúdo, como a prevenção de doenças como o câncer de próstata e testicular (entre outras), redução da possibilidade da marcação territorial com urina dentro de casa (não é possível realizar um tratamento relativo a essa questão sem a castração prévia), desenvolvimento de posturas agressivas em função de perturbações ambientais (presença de fêmeas e outros machos na área próxima à residência, mesmo dentro de um prédio) e algumas questões práticas, como: se você precisar fazer uma obra em sua casa e necessitar hospedar seu gato, os locais que oferece esse serviço não recebem gatos não castrados; profissionais de pet sitting também não atenderão animais não castrados; se, em uma situação uma ida a uma clínica veterinária ou mudança de residência, acontecer uma fuga, a chance de reencontro é muuuito menor e a chance de seu animal contrair doenças em brigas é muito maior. Além disso, ninguém está isento de erros. Basta uma distração com a porta e o gato pode escapar.

Deixe um Comentário

O que é treinamento positivo? Guia para iniciantes Por que os cães tendem a cheirar nossas partes íntimas? É correto chamar catnip de “maconha do gato”? Afinal, gato pode ou não pode brincar com laser? Mordidas de filhote: você tem um cachorro ou um tubarão?