Tia Lets agora tem certificação internacional!

Tia Lets agora tem certificação internacional!

CPPS® é o único exame de certificação para pet sitters profissionais baseado em avaliação de conhecimento

Já contei para vocês sobre os objetivos de me tornar associada a instituições de referência internacional em estudos sobre cuidados, comportamento e bem-estar de animais de estimação. Pois agora tenho uma super novidade e posso explicar um pouco melhor a importância disso. Depois de estudar bastante, passei no exame de certificação CPPS-Certified Professional Pet Sitter®, aplicado pela Pet Sitters International (PSI)!

O CPPS® é o único exame de certificação para pet sitters baseado em avaliação de conhecimento. O candidato, para ser aprovado, deve ainda aderir aos padrões de qualidade e código de conduta e ética da PSI. No Brasil, apenas duas profissionais detêm essa certificação hoje.

Como é o exame de certificação internacional para pet sitters?

O exame tem 125 questões, exige no mínimo 80% de acertos para aprovação e avalia os seguintes tópicos: 

  • definição e padrões da atividade de pet sitting; 
  • cuidado com cães (comportamento, linguagem corporal, necessidades nutricionais e de atividade física, anatomia básica, estágios de desenvolvimento, diferenciação de tipos de coleiras e de pelagem, doenças comuns e sinais de enfermidades);
  • cuidado com gatos (comportamento, linguagem corporal, necessidades nutricionais e de atividade física, anatomia básica, estágios de desenvolvimento, tipos de pelagem, tipos de areia higiênica, doenças comuns e sinais de enfermidades);
  • cuidados com aves (comportamento, linguagem corporal, necessidades nutricionais e de atividade física, anatomia básica, estágios de desenvolvimento, riscos no ambiente doméstico especialmente perigosos para aves, doenças comuns e sinais de enfermidade);
  • saúde, questões sanitárias e de segurança (checagem da cabeça à cauda, primeiros socorros, parasitas, forma correta de limpeza de resíduos, prevenção de contaminação);
  • perda de um animal de estimação (estágios de luto, formas de lidar com restos mortais);
  • saúde e segurança do profissional de pet sitting;
  • operação da atividade cotidiana da empresa (entrevistas com clientes, condutas apropriadas, condutas de excelência);
  • preparação para desastres naturais ou causados pelo homem;
  • ética, questões legais e de responsabilização;
  • marketing, presença em mídias sociais e divulgação;
  • procedimentos de escritório e planejamento.

A lista é enorme, né? Sim, foi necessário estudar um extenso material para poder completar a prova. Mas é importante ressaltar que o processo não acaba por aqui! O certificado é válido por três anos. A PSI exige que o profissional frequente atividades de educação continuada para mantê-lo, acumulando pontos durante esse período. Caso contrário, a certificação não é renovada.

Senta que lá vem a história…

Como a própria PSI sempre destaca em seus conteúdos, um pet sitter profissional é muito mais do que alguém apaixonado por animais. Ser um cuidador profissional exige uma variedade de habilidades e condutas. Desde 1994, a Pet Sitters International é uma referência, tendo como missão “excelência em pet sitting por meio da educação”. 

Diante disso, a PSI identifica o CPPS® como uma designação valiosa para profissionais que entendem a importância de:

  • padrões de excelência estabelecidos no setor;
  • ser comprometidos com a educação contínua durante sua carreira;
  • ampliar a consciência entre os tutores de animais sobre o que torna uma pet sitter um profissional qualificado;
  • promover profissionalismo e apoiar critérios de atuação em uma área deficiente em regulações.

Portanto, obter uma certificação não é algo que deve ser considerado pelo título em si, e sim como um incentivo para buscar mais conhecimentos e referências. Todo o mercado — em amplo e descontrolado crescimento — sai ganhando com iniciativas de acreditação.

Dica da Tia Lets

Nos últimos meses, enfrentei algumas adversidades, incluindo a morte de um dos meus bichinhos, minha gatinha Lelê. Em vários momentos, achei que não seria possível continuar estudando para a prova e dar conta de todas as outras atividades diárias. Foi um aprendizado sobre a necessidade de parar e reconhecer os sentimentos de luto e perda, ou seja, não mascará-los “ocupando a cabeça”. Temos que identificar quando é necessário ‘dar um tempo’ e cuidar de si mesmo; e tomar medidas para prevenir o stress excessivo. Coincidência ou não, esses temas aparecem no material de estudo para o CPPS®. Se você ficou com alguma dúvida sobre o exame ou quer saber mais sobre o que a certificação significa, entre em contato comigo!

Comentários do Facebook
1 Comentário
  • Adriano
    Postado em 19:02h, 26 novembro Responder

    É muito bom ver uma profissional que se preocupa com a sua formação. Parabéns!

Deixe um Comentário