Você sabe o que é enriquecimento ambiental para felinos?

Foto da imagem de um gatinho

Você sabe o que é enriquecimento ambiental para felinos?

Entender esse conceito é fundamental para ter uma vida saudável e harmônica com gatos.

 

Seu(s) gato(s) deve(m) estar vivendo uma vida muito boa: o comedouro é sempre abastecido em um horário previsível, há várias opções de lugares macios para dormir, uma coleção de brinquedos que ocasionalmente atraem a atenção e um colo quentinho para se aninhar. Mas você talvez fique surpreso ao descobrir que há um elemento faltando para que a vida dele seja verdadeiramente boa, próxima do bem-estar que você realmente deseja para seu bichinho.

Esse elemento é o enriquecimento da rotina e do ambiente. O gatinho está vivendo super bem ou apenas “levando” o cotidiano diante do cenário que foi oferecido? Tia Lets acredita: uma vez que você entenda um pouco mais sobre isso, vai perceber que pode melhorar, e muito, essa relação tão especial. E tenho certeza de que, se você ainda não aplica essa INDISPENSÁVEL ferramenta para o bem-estar felino, é porque simplesmente não a conhecia ou nunca recebeu a orientação.

Uma grande caminhada começa com o primeiro passo.

 

O enriquecimento é algo que pode e deve ser feito aos poucos, um passo de cada vez, para que haja tempo de avaliar os resultados de cada intervenção. Vamos fazer o mesmo por aqui, passo a passo. Bora lá?

 [PRIMEIRO, O BÁSICO] Para começar: afinal de contas, o que é enriquecimento? É uma necessidade do bichano — assim como boa alimentação, água fresquinha e caixa de areia limpa. É um processo com várias dimensões que melhoram o bem-estar de um animal, tendo em mente comportamentos instintivos, como a caça e a exploração olfativa do território, ao mesmo tempo que estimulam a brincadeira e o repertório cognitivo.

 [POR QUE ELE É BENÉFICO?] O estímulo mental obtido com os recursos de enriquecimento para felinos tem um potencial enorme para melhorar, ampliar e diversificar comportamentos na direção do que é considerado saudável, assim como reforçar e favorecer não só a sua relação com o gatinho, mas também dele com a casa. Todos ganham. A partir desse conceito básico, você consegue imaginar alguns exemplos de recursos para enriquecimento? Será que você sabe identificar sinais de que um gato está sofrendo com a falta dele?

 [SEGUNDO, AVALIAÇÃO CUIDADOSA] [COM PEGADINHA] Existem alguns sinais mais evidentes de que um animal pode estar sentindo falta de estímulos: ele caminha de forma repetitiva sem um objetivo definido (pacing, mais facilmente observado em animais confinados em zoológicos)? Lambe-se em excesso? Mia (vocaliza muito), sem motivo aparente? Comportamentos repetitivos, sem sentido e obsessivos são conhecidos como “estereotipados”. Quanto mais pobre for a rotina, mais intensos eles serão.

Outro sinal é o aumento da frequência de comportamentos indesejados, como as mordidas, ainda que não sejam obsessivos. Quando um gato não tem atividades adequadas para a prática normal da mordida, como a brincadeira que simula a caça, ele pode direcionar essa necessidade para outros seres com quem convive.

Agora vêm as pegadinhas: 1) se o meu gato não demonstra comportamentos estereotipados ou inapropriados, quer dizer que ele está vivendo com estímulos suficientes? 2) Outras causas podem estar por trás desses comportamentos?

A resposta para a primeira pergunta é não. Mesmo que o gato não apresente comportamentos repetitivos ou indesejados, ele pode estar sofrendo com estresse e falta de estímulos. Já ouviu falar que gatos podem ser muito tímidos e esconder suas doenças/incômodos até o máximo possível? Não é de propósito, tadinhos. É a ancestralidade e tentativa de se proteger falando mais alto. Se seu bichano não apresenta esses traços evidentes, que tal aprender sobre enriquecimento ambiental e da rotina para PREVENIR problemas comportamentais e prolongar uma vida cheia de bem-estar?

Como você já deve estar imaginando, a resposta para a segunda pergunta é sim. Gatos com problemas orais, por exemplo, podem morder mais ou apresentar o comportamento do chattering, que são movimentos rápidos de abrir e fechar a boca, semelhantes aos que ele faria ao avistar uma presa. Um gato alérgico pode se lamber em excesso. Portanto, o enriquecimento deve andar lado a lado com o acompanhamento veterinário e a eliminação de qualquer causa clínica para os comportamentos observados.

 [GATIFICAR A CASA É ENRIQUECER?] Considerando que o enriquecimento do ambiente e da rotina dos felinos é um processo multidimensional, será que espalhar prateleiras e arranhadores pela casa é o bastante para cumprir essa função? Os playgrounds para gatos são super legais, eu mesma tenho na minha casa. Mas esse recurso, oferecido isoladamente, não pode ser considerado um enriquecimento. É preciso avaliar se o gato está utilizando, E MAIS: se está usando de uma forma que promova seu bem-estar.

 [NÃO É FEITIÇARIA] Estudos que analisam fatores fisiológicos (amostras de saliva, urina e fezes) e comportamentais dos gatos comprovam essa complexidade e a importância do enriquecimento para aumentar a diversidade comportamental dos gatos, aumentar a frequência de comportamentos normais, ajudar o animal a utilizar melhor o ambiente e superar seus desafios (um outro animal na casa, por exemplo, é um desafio) e também diminuir a frequência de comportamentos anormais.

 [PORTAL DIMENSIONAL] Depois de tudo que vimos até agora, não é difícil entender porque os especialistas destacam pelo menos cinco tipos de enriquecimento: animado ou social (interação com seres com vida, por exemplo, VOCÊ); cognitivo; alimentar, físico e sensorial.

As nossas amigas prateleiras, por exemplo, fazem parte de recursos para enriquecimento físico. Mas a instalação delas deve seguir uma estratégia mais ampla, gradual e que observe os limites de cada bichano ou grupo de gatinhos.

Quando estamos tratando desse manejo e enriquecimento físico (ou estrutural) do ambiente, é importante seguir os mantras: descentralizar, multiplicar e setorizar. A área de alimentação ou a caixinha de areia não podem se tornar áreas em que um gatinho é encurralado pelo outro, por exemplo; um gatinho pode preferir comer em um local mais alto; e a água não pode ficar muito próxima da ração, em geral; apenas para citar alguns exemplos bem simples.

 [VOCÊ TOMA DECISÕES IMPORTANTES DE FORMA ALEATÓRIA?] O enriquecimento ambiental para felinos não é aleatório. Prova disso é que oferecer muitas opções, sem critério, pode fazer com que o animal permaneça sem escolhas claras. E, portanto, entediado e estressado.

DICA DA TIA LETS

Para evitar perda de tempo e dinheiro, a consultoria de um profissional especializado é muito importante. Lembre-se de que o enriquecimento é uma necessidade, não um luxo para seu gatinho!

 

*Esse post tem como base os conhecimentos que adquiri no Curso “Comportamento Felino Essencial”, ministrado pela Psicovet.

Comentários do Facebook
1 Comentário
  • Pingback:Enriquecimento felino | Pets da Lets
    Postado em 11:46h, 29 junho Responder

    […] de serem oferecidas tanto pelo tutor, quanto durante uma visita de cat sitting. Neste post sobre enriquecimento ambiental e neste post sobre o estilo de arranhar do seu gato, você encontra mais referências. Vale também […]

Deixe um Comentário