O novo coronavírus e os pets

Coronavirus Pets

O novo coronavírus e os pets

O que você pode fazer com seu pet enquanto está cumprindo medidas de isolamento social

A empresa mandou fazer home office? A viagem de férias foi cancelada? Aqui vão algumas sugestões da Tia Lets de “coisas que você pode fazer em casa com seus pets durante o isolamento do coronavírus”. 

1.Ensinar truques novos

Truques parecem só coisas fofinhas, mas, na verdade, eles ampliam o repertório comportamental e cognitivo do seu cachorro ou gato. Por meio do treino positivo, eles desenvolvem habilidades que o tornam mais preparados para enfrentar desafios do dia a dia. E você ainda melhora a comunicação com eles. Se o seu cachorro já sabe o “senta” e o “deita”, que tal ensinar o “vai para a caminha”, bem no espírito da quarentena? E o seu gatinho? Ensine-o a ir para um lugar específico e ganhar petiscos. No futuro, você poderá usar esse local para cortar as unhas dele com calma, por exemplo. As brincadeiras habituais, como a varinha para os gatos e a bolinha para os cachorros, também devem ser mantidas e incentivadas durante esses momentos que vocês têm juntos em casa.

2. Transformar uma caixa de papelão em um refúgio para o seu gatinho

Não é porque seu gato está dentro de casa, protegido, que ele não fica estressado. Gatos precisam de refúgios para se sentirem seguros, como já mostramos algumas vezes aqui no Pets da Lets. No meu canal no YouTube, eu ensino como fazer uma casinha que seus gatinhos vão AMAR e você vai se divertir muito fazendo.

3. Curtir uma música relaxante

Existem canais e playlists específicas para relaxamento de cães e gatos no YouTube e no Spotify. Os mais conhecidos são Relax my dog e Relax my cat. Para cachorros, já existe também a Dog TV, nas operadoras de TV a cabo. E para gatos, vale buscar pela obra Music for Cats, do músico e pesquisador David Teie, que produziu músicas com sons específicos para os felinos, a partir de uma avaliação científica dos benefícios do conforto olfativo para os animais.

4. Escovação e massagem bem lenta e prazerosa

A escovação é uma ferramenta simples e multifuncional: mantém o pelo do animal desembaraçado, limpo e brilhante; é uma oportunidade para analisar se está tudo bem com a pele e a pelagem dos nossos amigos e pode ser muito prazerosa, tanto para você quanto para ele. Já a massagem pode melhorar a circulação e diminuir a ansiedade do bichinho. Mas tudo isso depende do nível de conforto que seu animal tem com a escova e a massagem.

5. Aprender a fazer seus próprios petiscos naturais caseiros 

Biscoitos de banana, aveia e cenoura, petiscos com carne, frango e vegetais para os cachorros; iscas de fígado e salmão para os gatos. Existem muitas receitas de petiscos naturais e saudáveis MUITO SIMPLES, que basicamente usam a mistura de ingrediente e o forno. Mas o primeiro passo é perguntar ao veterinário quais alimentos seu animal pode/deve comer.  

6. Fazer aulas de adestramento e comportamento on-line

Existe um perfil de tutor de cães e gatos que é tão dedicado ao bem-estar dos seus bichinhos que nós o chamamos de “tutor profissional”. Se você está em busca de conhecimento de qualidade para saber filtrar o monte de fake news que existe sobre comportamento animal, recomendo que visite os perfis @dantedogworks, @carlaruas, @petmoderno, @turmadofocinho_carol e @wellfelis, que oferecem periodicamente cursos on-line para pessoas que não necessariamente desejam se tornar treinadores e consultores, mas querem oferecer as melhores condições possíveis de vida para seus cachorros e gatos.

E o coronavírus, tia?

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), não há evidências de que os animais possam desenvolver ou transmitir a Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.  

Mas e o cachorro lá de Hong Kong e tals? 

De fato, um cão que conviveu com tutores infectados testou positivo para Covid-19 (Coronavirus Disease 2019) em Hong Kong. Ele não apresentou sinais da doença e o nível de infecção era muito baixo, segundo a OMS. As autoridades de saúde declaram que esse caso não é suficiente para afirmar que animais de estimação fiquem doentes ou tenham papel significativo na disseminação do vírus, muito menos para tomar qualquer decisão que prejudique seu bem-estar. Até o momento, o que se sabe é que o novo coronavírus é transmitido entre humanos. Para saber mais, acesse o post “Cães e gatos não transmitem Covid-19 para humanos ou outros animais”. 

A confusão acaba acontecendo também porque, se você é tutor de animal de estimação, já deve ter ouvido falar esse nome — coronavírus — antes, só que em outro contexto. Existem cepas do coronavírus específicas das espécies felina e canina, que NÃO SÃO zoonoses, ou seja, não são transmitidas para humanos. O coronavírus canino pode ser prevenido pela vacinação.

A recomendação das autoridades de saúde é que pessoas INFECTADAS limitem o contato direto com seus animais, evitem especialmente os abraços e lambeijos, e deleguem os cuidados dos bichinhos a outras pessoas, sempre que possível. Se não for possível, é preciso redobrar os cuidados básicos de higiene (destaque para LAVAR AS MÃOS), além de usar máscaras — nos humanos, por favor, não nos animais. 

Para o tutor que está saudável, as orientações são as mesmas que para o resto da população. Os passeios com os cachorros devem se restringir a locais abertos e tanto o passeador quanto os animais não deverão ter contato com outras pessoas no trajeto. Lembre-se de que, mesmo que não esteja no grupo de maior risco de ter complicações da Covid-19 (idosos, pessoas com problemas do coração, hipertensão, diabetes, asma e fumantes), você pode ser um vetor de transmissão da doença: 

  • lavar frequentemente as mãos, de preferência de hora em hora, com água limpa e sabão, por no mínimo 20 segundos em cada vez, lembrando de secar com papel descartável após o processo; 
  • evitar todo e qualquer local com aglomerações de pessoas; 
  • se estiver na rua, use o álcool em gel para higienizar as mãos;
  • cumprimente as pessoas sem tocá-las;
  • se possível, trabalhar de casa; 
  • cobrir a boca e o nariz com o antebraço ao tossir ou espirrar; 
  • desinfectar objetos e superfícies tocados com frequência, como celulares, brinquedos, maçanetas, corrimão, com álcool 70%. 

As máscaras faciais descartáveis devem ser utilizadas por profissionais da saúde, cuidadores de idosos, mães que estão amamentando e pessoas diagnosticadas com o coronavírus.

E também não custa tentar esse recado: ao fazer compras no supermercado, farmácia ou atacadista, lembre-se de que a histeria em torno da compra de alguns produtos, como o papel higiênico, tem como única função causar a alta do preço e, consequentemente, prejudicar as pessoas com menor poder aquisitivo.

Comentários do Facebook
Nenhum comentário

Deixe um Comentário